Audiência Pública

Demandas da sociedade civil são ouvidas pelos vereadores em audiência pública das Diretrizes Orçamentárias
Postado em 08/06/2018

A Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara Municipal da Estância de Socorro realizou uma audiência pública para discussão e apresentação de sugestões ao Projeto de Lei n.º 20 de 2018, referente à Lei de Diretrizes Orçamentárias do município. Durante a audiência, representantes da sociedade civil apresentaram demandas que foram ouvidas pelos vereadores.

Compareceram à audiência pública os membros da Comissão de Finanças e Orçamento Edeli de Fátima Antunes de Almeida (PMB), João Pinhoni Neto (DEM) e Tomás D’Aquino Frattini (PTB), presidente, vice-presidente e relator, respectivamente.

O presidente da Câmara Municipal Lauro Aparecido de Toledo (PTB) e os vereadores Marcelo José de Faria (PSDB) e José Paschoalotto (PV) também estiveram presentes.

Demandas da Sociedade Civil
Após o projeto ser apresentado pelo secretário da Fazenda de Socorro, Diogo Pereira do Nascimento, os representantes da sociedade civil puderam fazer sugestões e apresentar demandas.

Eli Salgueiro, provedora da Santa Casa de Misericórdia de Socorro, e Marcos Rovesta, membro do conselho fiscal da mesma instituição, relataram a situação financeira da Santa Casa. Segundo eles, as subvenções e repasses dos governos federal, estadual e municipal não estão sendo suficientes para equilibrar as contas da instituição.

De acordo com dados apresentados por Rovesta, a Santa Casa recebeu, em 2017, cerca de R$ 8 milhões em repasses públicos. Contudo, a instituição ainda teve que custear com recursos próprios cerca de R$ 4,3 milhões, para liquidar todas as despesas.

Segundo Eli Salgueiro e Marcos Rovesta, se essa situação persistir até o fim do ano, os recursos próprios da Santa Casa não serão suficientes para cobrir todos os gastos da instituição. “Nós estamos em um momento muito difícil da Santa Casa”, lamentou Salgueiro.

Já o representante da diretoria da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Socorro (APAE), Francisco Dias, relatou a situação financeira da APAE. “O caso da APAE é tão grave quanto o da Santa Casa. Nós estamos gastando as reservas de contingência que a gente tem”, disse Dias.

Representando a Associação dos Moradores do Jardim Jussara e Jardim Orlandi, Evandro de Almeida Junior, entre outras demandas, cobrou ações de recapeamento asfáltico e varrição de ruas.

Adriano Bozola, administrador do grupo “Reclame Socorrense” do Facebook, apresentou demandas manifestadas pela população na rede social e sugeriu a reforma do imóvel do Centro Municipal de Ensino Profissionalizante (CEMEP/SENAI).

Presidente da Associação Socorrense de Turismo (Astur) e conselheiro do Conselho Municipal de Turismo de Socorro (Comtur), Charles Gonçalves discorreu sobre soluções para o desenvolvimento do turismo da cidade.

Sugestões
Após as apresentações dos representantes da sociedade civil, o público presente pôde, por escrito, dar sugestões ao projeto das Diretrizes Orçamentárias. As sugestões foram coletadas e lidas ao final da audiência pública e serão encaminhadas para apreciação da Comissão de Finanças e Orçamento.

Assista à audiência no Youtube!
Não pôde estar presente na audiência pública? Assita à audiência na íntegra por meio do canal da Câmara no Youtube.

 

Assessoria de Imprensa
Câmara Municipal da Estância de Socorro
assessoriaimprensa@camarasocorro.sp.gov.br